Headerbild_SEO_LP_Dunstabzug_L.jpg Headerbild_SEO_LP_Dunstabzug_P.jpg

A alternativa à chaminé de exaustão clássica: o exaustor em baixo

A chaminé de exaustão é um ajudante de cozinha útil. Permite extrair os vapores resultantes da cozedura e confeção de alimentos, armazenando em filtros as partículas e os odores que os vapores contêm. Este princípio é igual em todas as chaminés de exaustão, independentemente de se tratarem de modelos com extração de ar ou recirculação de ar. O resultado: o ar da cozinha mantém-se limpo, o espaço e o vestuário não ficam durante horas com o cheiro da comida e os móveis e as paredes não ficam manchados com camadas de gordura pegajosas. Até aqui, tudo bem. Contudo: apesar de ser muito útil, a chaminé de exaustão clássica também apresenta algumas desvantagens.

As desvantagens da chaminé de exaustão

2019_BORA_Pure_PUEDJ_Kueche_jadegruen-05_RGB.jpg

Desvantagem 1: a falta de altura

Não deve haver ninguém que não tenha já passado pela experiência de bater com a cabeça na chaminé de exaustão enquanto está a cozinhar. Isso deve-se ao facto de as chaminés de exaustão estarem situadas próximas da cabeça, por cima da placa de cozedura, para fazer a extração do vapor de cozedura que sobe. Um choque da cabeça com o exaustor pode ser bastante doloroso. Por essa razão, o mercado já oferece exaustores especiais inclinados. No entanto, também estes sistemas de exaustão inclinados ou embutidos na parede para proporcionar mais altura necessitam de espaço por cima da placa de cozedura, sendo esta a segunda desvantagem das chaminés de exaustão.

Modular_Kuechen_black_5_KommBORA.jpg

Desvantagem 2: falta de espaço de armazenamento

Mesmo para as soluções de exaustor mais reduzidas, o aparelho requer espaço que depois faz falta para armários superiores. Isto porque nas chaminés de exaustão integradas em móveis de cozinha, como exaustores planos, exaustores embutidos ou nivelados, o espaço que sobra para o armário superior apenas serve para uma prateleira estreita. É, sobretudo, em cozinhas mais pequenas que isto pode representar um verdadeiro desafio para quem projeta a cozinha ou (caso o projetista não resolva o problema) para o futuro utilizador da cozinha.

2019_Druck_BORA_X-Pure_PUXU_PUXA_Goldkueche_ISOcoaV2_4.jpg

Desvantagem 3: interferência com a estética de cozinhas abertas

Em cozinhas grandes, a chaminé de exaustão também pode ser um problema para o projetista. Principalmente, quando o objetivo é planear uma solução aberta com uma ilha de cozinha. Por norma, os exaustores de ilhas, suspensos do teto, ficam quase sempre mal. Esse é o motivo pelo qual quem aposta no design escolhe quase sempre chaminés de exaustão embutidas no teto – partindo do princípio de que existe corrente no ponto sobre a placa de cozedura. Em construções antigas, por exemplo, é raro isso acontecer. Esses exaustores de teto ainda têm mais uma desvantagem: pelo facto de estarem localizados no teto, ficam mais distantes da zona de cozedura, o que faz com que o vapores de cozedura sejam extraídos de forma menos eficaz. O vapor de cozedura espalha-se pelo ar antes de lá chegar.

2019_Druck_BORA_X-Pure_PUXU_PUXA_Ruhe_ISOcoaV2.jpg

Desvantagem 4: o volume da chaminé de exaustão

Em muitas cozinhas, é quase impossível manter uma conversa normal enquanto a chaminé de exaustão está a funcionar. Os seguintes números permitem demonstrar isso mesmo: o volume médio de uma chaminé de exaustão em funcionamento é de aproximadamente 63 decibéis. Por norma, uma conversa entre duas pessoas é realizada a um volume entre 50 e 60 decibéis. Além disso, o motor responsável pelo ruído do exaustor está situado à altura da cabeça, independentemente de se tratar de um modelo clássico ou "inclinado", ou seja, precisamente o ponto onde a conversa na cozinha é realizada.

2018_BORA_Pure_Leichte-Reinigung.jpg

Desvantagem 5: a limpeza complicada

Se a chaminé de exaustão for utilizada regularmente, é necessário limpá-la de vez em quando. Apesar de ser possível desmontar componentes como filtros metálicos e utilizar a máquina de lavar louça para a sua limpeza, as superfícies das chaminés de exaustão têm de ser lavadas manualmente, por dentro e por fora. Uma tarefa difícil que pode tornar-se bastante cansativa. Em alguns modelos de exaustores, não é possível chegar a todas as superfícies sujas sem uma escada. Os pontos de difícil acesso também constituem um risco adicional.

A solução: o exaustor em baixo

2018_BORA_Professional_PKFI-PKT_Freie_Sicht.jpg

Vantagem 1: vista desimpedida

Uma vez que o exaustor está integrado na placa de cozedura, não é necessária uma chaminé de exaustão incomodativa à altura da cabeça.

Dunstabzugshaube_Planungsfreiheit_Bild_Icoon.jpg

Vantagem 2: total liberdade de planeamento

Independentemente de se tratar de colocar armários suspensos em toda a volta, situar o local de cozinhar junto à janela ou de projetar uma cozinha com design minimalista, quem projeta a cozinha já não tem de ser preocupar mais com o exaustor.

2019_Druck_BORA_Classic_2xCKFI_ausgezeichnetes_Design.jpg

Vantagem 3: design excecional

Os inúmeros prémios de design conquistados pela BORA comprovam isso mesmo: o exaustor em baixo confere uma estética de cozinha totalmente nova e elegante.

2019_Druck_BORA_X-Pure_PUXU_PUXA_Ruhe_ISOcoaV2.jpg

Vantagem 4: silêncio agradável

Graças à tecnologia sofisticada e à instalação no rodapé de cozinha, o exaustor de placa é bastante mais silencioso do que as chaminés de exaustão tradicionais.

2018_BORA_Pure_Leichte-Reinigung_02.jpg

Vantagem 5: fácil limpeza

Para efetuar a limpeza de um exaustor de placa BORA, basta retirar os componentes móveis e colocá-los na máquina de lavar louça.

Isso faz com que os exaustores, neste aspeto, sejam claramente mais vantajosos comparativamente às chaminés de exaustão.

Saiba todas as vantagens da BORA

descobrir

BORA Effect