Teamfoto_BORA_hansgrohe_2020.jpg bora-com_Header_Cycling-Team_2048x3639px_mobile.jpg

Equipa BORA-hansgrohe

We cycle for the cooking revolution

Da cozinha à primeira divisão de ciclismo

O novo caminho que a BORA seguiu com o seu compromisso para com o ciclismo em 2015 ajuda a empresa inovadora a progredir. Em 2019, a equipa BORA – hansgrohe subiu mais um lugar, tornando-se a segunda equipa mais forte no UCI WorldTour. Isto só foi possível graças às 47 vitórias incríveis e às restantes inúmeras subidas ao pódio, como, por exemplo, o sucesso nas três Voltas e os resultados fantásticos nas clássicas, como Liège-Bastogne-Liège, em que dois ciclistas subiram ao pódio. Outros grandes destaques são também a pontuação de Pascal Ackermann, na Volta a Itália, bem como a de Peter Sagan, na Volta a França. O eslovaco, Sagan, conseguiu pela sétima vez a camisola verde pelo melhor número de pontos, mais vezes do que qualquer um anteriormente. Ainda assim, a maior acontecimento foi a incrível 4.ª posição geral do jovem alemão Emanuel Buchmann, na Volta a França, que deixou muitos corações a palpitar, para além da Alemanha.
Mais uma vez é evidente que toda a equipa em torno da estrela Peter Sagan se desenvolveu na temporada passada, porque o sucesso é distribuído pelos muitos ciclistas, que estão entre os melhores do mundo.  Por isso, é de esperar também que a BORA – hansgrohe faça furor na temporada de 2020. Para que isto seja possível, Ralph Denk reuniu uma equipa forte. Os novos membros Lennard Kämma, que se fez representar na Volta a França, e Matteo Fabbro, da Itália, devem ajudar ainda mais a classificação geral de Emanuel Buchman na etapa de montanha. Ide Schelling, dos Países Baixos, Martin Laas, da Estónia, e Patrick Gamper, da Áustria, vieram reforçar a equipa nas clássicas, nas provas de um dia e nas etapas de sprint.

Para além da paixão que o diretor executivo da BORA, Willi Bruckbauer, sente pelo ciclismo, este compromisso tem também um componente estratégico. A BORA optou por um patrocínio que se adequa à empresa em todos os aspetos e contribui em todos os aspetos para os objetivos de marketing. O valor publicitário conseguido graças ao ciclismo e as medidas de capitalização que o acompanham conseguiram aumentar significativamente o reconhecimento da marca nos últimos anos - sobretudo a nível internacional, uma vez que a BORA está presente em mais de 50 países. 27 profissionais do ciclismo de 9 países apoiam esta missão. O nosso sucesso prova que estamos no caminho certo, uma vez que a BORA está a crescer nos países onde o ciclismo é mais popular, de forma mais acelerada e melhor do que nos outros países.

Willi Bruckbauer exprime isto mesmo na perfeição: “Unimos coisas que devem estar unidas: O desporto, a saúde, a abertura para o mundo, o espírito de equipa, a ambição e a energia. Tudo isto faz parte do ADN da BORA. Não acreditariam na quantidade de pessoas por todo o mundo que que se inspiraram e se envolveram no nosso compromisso para com o ciclismo! De alguma forma, os membros da nossa equipa de ciclismo também fazem parte da família BORA. Criando, assim, um incentivo enorme, que se projeta nos nossos trabalhadores e parceiros comerciais. A equipa em torno de Peter Sagan é a embaixadora perfeita que leva faz chegar longe a nossa revolução.”

BORA Kitchen Talks

Erik Baška fala sobre o pior momento da sua carreira no ciclismo
Jay McCarthy fala sobre o emprego que escolheria se não fosse ciclista
Pascal Ackermann fala sobre o seu pior emprego
Quem publica as melhores histórias no Instagram?
O maior erro de Marcus Burghardt durante uma prova de ciclismo
A prova de ciclismo preferida de Patrick Konrad

Descubra mais sobre a equipa - Novidades, relatos das competições e vídeos

Descobrir